“UM BARATO QUE SAI CARO”

Sou tradutora pública juramentada, tendo prestado meu concurso em São Paulo, num certame em que não passaram nem 5% dos candidatos.

Daí se pode deduzir o alto nível de conhecimento e capacidade dos tradutores públicos aprovados em concurso.

Fui procurada por uma firma de Ipatinga – MG, para avaliar uma tradução de um contrato feita, certamente, por um leigo que simplesmente passou o texto pelo Google Translator.

Por que assim deduzi? No Google a palavra “contractor” é traduzida por Contratante, quando na verdade é empreiteiro ou contratado.

Pois bem, a firma figurava no contrato como contratante, e não como contratado. Depois de entregar as obras (quando me procuraram já fazia 3 meses) estavam sofrendo ação trabalhista, pois, por não terem recebido o pagamento e, não obstante o volume de dinheiro gasto com a construção, ainda teriam que pagar os subempreiteiros e fornecedores.

Fiz uma declaração, como tradutora pública, dos erros cometidos na tradução, para a firma dar entrada no processo trabalhista.

Até quando soube, a questão ainda não havia sido resolvida.

Contratar incompetentes por um preço vil, é um barato que pode sair MUITO CARO, pois qualidade tem seu preço, assim também como a falta dela.

Contribuição da Tradutora Pública de Inglês Maria Evelina Meyer

Compartilhe

Av. Contorno, 2786 - Santa Efigênia - Belo Horizonte - Minas Gerais

presidencia@atpminas.com.br